A humanidade da inovação

Empreender tem sentidos amplos e profundos. Talvez mais do que imaginemos. Conhecer e participar da vida de diversos empreendedores me fez perceber o quão impactante e ampla podem ser as ações das empresas. Mais ainda, quando essas possuem consciência de seu papel sistêmico e de um propósito.

Vale ressaltar que tais impactos tem a ver com uma espécie de onda causada pelos movimentos destes negócios. Gerando valor agregado para colaboradores, clientes, acionistas, comunidade, sociedade e para o próprio patrimônio, com resultados efetivos e sustentáveis. O ponto de partida para a ampliação desta consciência envolve diversos fatores que, em resumo, modificam profundamente a forma de ver e fazer destas empresas. Fatores que se tornam rituais da cultura e podem ser vistos de maneira clara e palpável.

O cultivo de relações significativas é um destes fatores. Ou seja, a partir do momento que nossas relações ganham sentido para existir maior do que uma simples troca mercantil, coisas diferentes acontecem por meio destas relações. E isso diz respeito principalmente a transformar ambientes sem vida em organismos vivos e a perceber o outro como sujeito, um ser humano diferente, e não como um recurso/objeto gerido por sua utilidade em um determinado processo/projeto.

Relações significativas ampliam o poder da entrega enquanto dão o primeiro passo para um ideal coletivo. E levando em consideração a característica básica das nossas relações (que, sem dúvida, constroem nossa humanidade) podemos perceber que as empresas que têm conquistado resultados sustentáveis nestas questões, em geral, investiram na criação de um ambiente propício à existência de relações mais conscientes e maduras, tornando a inovação e seus efeitos consequências de um ambiente que lhes é natural.

Obviamente, um processo longo e desafiador, construído cotidianamente. Além disso, trata-se de uma atitude disruptiva do ponto de vista pragmático, pois muitas empresas construíram e, até hoje, entregam resultados vultosos sem o cuidado com as relações. Apesar disso, já é crescente o número de empreendedores e pensadores com o entendimento de que nutrir relações significativas gera impacto suficiente para modificar todo o ecossistema no qual a empresa está inserida, de maneira plena e sustentável, cumprindo mais do que um papel mercadológico, mas um propósito social.

Anderson Siqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *